19/02/2011


"Um sonho vivido sob a sombra de uma árvore, com a doce carícia de uma brisa fresca que trouxe consigo o perfume de outras flores e outras árvores encontradas pelo seu caminho, jamais foi esquecido, talvez pela magia do lugar com toda a mistura de elementos e circunstâncias, talvez pela impossibilidade do sonhador de abandonar tais impressões, talvez pela saudade que sempre retorna com os atalhos para lembranças constituídos por ocorrências que se assemelham às antigas, ou simplesmente por ter sido o sonho mero reflexo de tudo o que encontrou em seu percurso até os dias de hoje."

Um comentário:

Anônimo disse...

fala mikão, muito loucos seus poemas heheh,,,, abraço Alan